quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Livro: Senhorita Aurora
Série: -

Autor: Babi A. Sette
Editora: -
Gênero: New Adult
Páginas: 454
Resenha por: Luke
Nicole Alves desde pequena se dedica ao ballet, com o apoio de sua mãe que mesmo sem condições se esforçava para realizar os sonhos de sua filha. Foi em um teste no Rio de Janeiro que ela conseguiu ingressar à Companhia de dança de Londres, uma das mais renomadas no mundo. Seus sonhos começaram a se realizar, mas estava apenas começando. Em outro teste em Londres ela conseguiu ser aprovada para ser a protagonista de um espetáculo, com a encenação de A Bela Adormecida, tendo o papel de Aurora. Foi no ensaio que ela conhece o frio e ríspido Daniel Hunter, um maestro famoso e meticuloso quando o assunto é fazer um trabalho perfeito.

No primeiro momento senhor Hunter, é chamado, se mostra alguém distante e reservado. Diariamente Nicole terá que aturar as críticas do maestro para se apresentar de maneira perfeita. Porém, quando os dois ficam presos em uma mansão, será a oportunidade perfeita de se conhecerem. A jovem bailarina perceberá que há algo por trás da máscara que Daniel usa para com as outras pessoas. O maestro notará algo em Nicole que despertará algo nele que há anos não sente. Será que um casal tão improvável poderá encontrar a felicidade? Ou certamente estarão buscando a destruição de suas carreiras e a crença pelo amor?
Conheço Babi A. Sette de ouvir falar, e muito bem. Seus livros são falados por serem apaixonantes e envolventes. Aproveitei para ter o primeiro contato com ela neste New Adult (que primeiramente me conquistou pela capa maravilhosa), um dos meus gêneros preferidos. Babi acertou em muitos pontos nesta trama, o que fez ganhar um fã e que está ansioso para ler suas outras obras.
Nicole é a típica jovem brasileira que não tem condições financeiras, mas com muito esforço e apoio de sua mãe seus sonhos foram se realizando. Primeiro por dançar em uma escola nobre de dança, anos depois passou em um teste muito concorrido pelo mundo inteiro para entrar em uma das mais famosas Companhias de dança de Londres. Ela leva uma vida feliz e alegre junto com sua colega de quarto Nathalia, uma amiga fiel e sincera. Sua paixão e prioridade sempre foi o ballet, sua entrega é intensa e verdadeira.
Senhor Hunter já assusta qualquer pessoa com sua fisionomia, seus cabelos longos e barba cumprida. Além disso, o maestro possui um temperamento colérico. Um homem ríspido, reservado, mal educado e sem meias palavras – com ninguém. Porém, isso é apenas uma casca para esconder um segredo. Algo que mudou sua vida e morreu interiormente anos atrás. Sua vida perdeu a cor, apenas a música é o consolo e a força que ele encontrar para continuar a viver. Quando ele conhece Nicole, de alguma maneira algo que estava apagado reacende, transformando em uma atração que ele luta diversas vezes para contê-la.
Dois personagens diferentes. Um homem que se esconde. Uma jovem que se entrega de corpo e alma. Um maestro apaixonado pela música. Uma bailarina pela dança. Mas há algo em comum que os une, a paixão pela arte. Um relacionamento que pode ser destruído por um fio, pelo comportamento agressivo de Hunter, além do mais ele é diretor de Nicole, ou seja, há algo proibido e que pode destruir principalmente a carreira dela se descobrirem.
A história é narrada pela ponto de vista de Nicole, porém algumas vezes Hunter ganha a oportunidade de expressar o seu. Nicole é uma garota batalhadora, mas sua a área sentimento em sua vida é bem crua, o que reflete em diversos comportamentos infantis. O tempo e o convívio é o remédio para que ela perceba quais escolhas tomar. Hunter, por outro lado, se mostra ser alguém impossível de encontrar algum sentimento bom nele, mas aos poucos as escamas vão caindo e o seu verdadeiro “eu” é desnudado e percebemos bom ele pode ser. A entrega dele no decorrer dos capítulos é linda de acompanhar. A obra é dividida em quatro partes e todas são mostradas uma nova fase que a protagonista entra.
A escrita de Babi é fascinante. Sua primeira obra no gênero foi com o pé direito. Contém todos os elementos que o gênero pede, sua escrita é extremamente envolvente, seus diálogos bem construídos e os conflitos são sérios e bem elaborados. Algo importante a se destacar é que um dos conflitos é algo muito importante a ser falado, não sei se não encontramos em outros livros por tabu, falta de estudo ou interesse, mas Babi inseriu um tema com muito esmero.
Para os fãs do gênero New Adult, corram logo para ler “Senhorita Aurora”. O título é algo marcante na história, a escrita da autora consegue prender o leitor desde o início e a capacidade dela despertar em nós, que estamos lendo, sentimentos tão mistos é surpreendente. Uma história sobre superação, de não ter medo do amor e que vale a pena se arriscar para ser feliz. Uma trama comovente que poderá te conquistar do começo ao fim.
A obra teve seus direitos de publicação comprado pelo Grupo Editorial Record, será publicado pelo selo Verus, em 2018.
 

 

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Livro: A menina dos olhos molhados
Série: -
Autor: Marina Carvalho
Editora: Globo Alt
Gênero: Romance
Páginas: 296
Resenha por: Luke
Quando Bernardo tinha 14 anos, na cidade de Iriri, avistou em uma casa uma garota linda, tímida e a apelidou de “A menina dos olhos molhados”, pelos olhos brilhantes que ela tinha. Anos se passaram e o rapaz se tornou um jornalista com o talento no sangue de ser curioso, comunicativo e ter o desejo de buscar a verdade. Esse talento o destacou tanto que ele trabalha num dos mais famosos jornais impressos de Minas Gerais.

Quando o editor-chefe informa que ele terá que ser mentor de uma estagiária, sua atitude colérico se manifesta. Ele não quer ninguém grudado nele enquanto faz seu trabalho. Mas ele terá que aceitar que Rafaela, a estagiária, estará com ele para cobrir acontecimentos, cobertura de imprensa e ir em busca de furos de reportagem. A relação entre eles não será nada agradável, pois os dois não se gostam. Porém, acontecimentos mostrarão que o ódio pode ser o amor escondido lá no fundo do coração. Rafaela e Bernardo são água e óleo, mas quando aquele sentimento avassalador bate em nossa porta não há como dispensá-lo, apenas dar boas vindas. O jovem jornalista também verá que o passado pode se mostrar tão presente em sua vida.
Li logo quando lançou Azul da cor do mar, e gostei bastante da história. Primeiro por ser um dramalhão, segundo por ser ambientado em minha cidade (Belo Horizonte) e terceiro por ter um plano de fundo o jornalismo, no qual é a área que estudo. Porém, ao me deparar com  A menina dos olhos molhados tomei certo susto por achar algumas coisas pelo pontos de vista de Bernardo. Gostei da história, pois Marina tem a capacidade de envolver o leitor, mas alguns pensamentos do protagonista não me agradaram.
Bernardo teve uma relação conturbada, isso se acarretou em fechar seu coração para o amor, apenas relações casuais. Se no livro pelo ponto de vista de Rafaela evidenciou a postura dele com relação a ela no começo da história, no de Bernardo se intensifica. Ele mostra ser uma pessoa egoísta, irritante e machista, através de seus pensamentos lidos pelo leitor e atitudes. Ele muda, sim, mas com relação a Rafaela e não ao seu pensamento um tanto retrógrado.
A construção de Rafaela foi muito bem apresentada em seu livro, por ser uma menina sonhadora, forte e madura. Já Bernardo mostrou mais seus pontos negativos do que os positivos. Muito de sua postura pode ter sido mostrada no começo da trama, mas ter sido mais exposta depois, mostrando que ele não só mudou com sua parceira de trabalha, mas também com relação a outras coisas, por exemplo, que deu muito certa a presença feminina na editoria de jornalismo investigativo e que a mudança de sua editora, Luciana, de dar um toque feminino neste ambiente dominado pelos homens e nas matérias foi muito bem sucedida, ou seja, ter desconstruído tal comportamento. A obra se mostrou para mim não apenas um romance entre dois colegas de trabalha, como o leitor acompanha os pensamentos de Bernardo, nos mostrou muito de sua personalidade e vários questionamentos quanto a ela.
Todos os capítulos há textos retirados do Código de Ética dos jornalistas e do Manual de redação e estilo do Jornal O Estado de São Paulo. Como estudante de jornalismo gostei muito de ler alguns textos dados em sala de aula, e perceber o quanto é verdade que o Código de Ética dos jornalistas é ferido constantemente em todas as mídias. A trama também mostra várias funções que o jornalista exerce no jornal impresso, expondo as coisas certas a se fazer e também as erradas.
A escrita de Marina é envolvente e instigante. Ela é objetiva nas descrições e diálogos, o que gosto bastante. O enredo é bem construído sem deixar pontas soltas e a autora nos presenteia no final com um capítulo extra, para sabermos mais sobre Bernardo e Rafa.
Para os fãs da autora e de romance poderão gostar deste livro. Há romance, ação e um pouco de drama. Eu gostei da obra, só o que não me agradou foi alguns pensamentos de Bernardo.
Tenho que dizer que a arte deste livro está maravilhosa. As cores e o desenho da capa e diagramação bem estruturada. Globo Alt está de parabéns que a cada edição dos seus livros mostra quanta beleza e carinho.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Livro: A morte de Sarai
Série: Na companhia de assassinos #1

Autor: J. A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Gênero: Romance Dark
Páginas: 255
Resenha por: Luke
Sarai tem típico sonho adolescente americano: terminar o ensino médio e entrar numa faculdade. Porém, seus planos são interrompidos quando ela com 14 anos e sua mãe vão viver no México. Elas foram morar com Javier, um traficante poderoso de drogas e mulheres. Ele se apaixonou por Sarai e quando sua mãe morreu a mantém em cativeiro. Apesar de sofrer, ela é mais bem cuidada do que as outras mulheres que moram ali. Ela é a pupila de Javier.

Depois de nove anos aprisionada, Sarai nunca desistiu de sair dali e recomeçar sua vida. Ela vê a oportunidade quando um americano chamado Victor, um assassino frio e experiente aparece na casa de Javier. Ela consegue um meio de fugir e entrar no carro dele. A partir daí será uma jornada de desconfiança, compaixão e talvez de algo a mais que para Victor é algo desconhecido e despreza.
Sou muito fã de J. A. Redmerski desde a duologia “Entre o agora e o nunca”. Ela me conquistou com seus personagens fortes e que o leitor consegue sentir suas emoções. Desta vez, a autora nos apresenta uma nova história tanto mais séria. Um mundo obscuro de abusos, tráfico de drogas e mulheres e mortes a sangue frio.
Sarai é uma garota que tinha tudo para realizar seus sonhos e ter uma vida normal nos Estados Unidos. Porém, estes sonhos cessam quando se muda para o México para viver junto com sua mãe na casa de Javier. Ele se apaixonou por ela, desde então a mantém presa a ele. Ela é bem cuidada, apesar de sofrer nas mãos da irmã de Javier e por estar presa. Victor é um assassino frio, calculista e não tem medo de nada. Desde pequeno foi criado para ser assim, ou seja, não há sentimentos que envolvem seu coração, apenas cumprir missões que a Ordem manda.
O encontro dos dois acontece quando Sarai entra no carro de Victor, no intuito de fugir daquele lugar que foi sua casa/prisão há tanto tempo. Ele é a única esperança para ela recomeçar sua vida, e fará de tudo para que isso aconteça. Victor percebe que a menina demonstra ter uma casca neutra, destemida e fria, mas sabe que há sentimentos humanos ainda existentes ali.
Victor demonstra ao máximo não ter sentimentos, apenas mostrar sua crueldade e frieza. No entanto, ao ajudar Sarai já se percebe que algo o motivou a fazer isso. Ele poderia ter a matado, mas deu a oportunidade dela tentar fugir. Ela aos poucos começa a sentir algo por ele, mas Victor sempre foi desconfiado, foi instruído a ser.
Os personagens na trama são característicos da autora, por serem fortes ,reais e faz com que o leitor se identifique com eles. Apesar de ser um livro dark, Redmerski através de sua escrita fascinante consegue transpor o leitor para dentro da história e faz com que o prende do começo ao fim. Ela consegue criar momentos de clímax de hora pra outra, de maneira natural e carregado de tensão.
Este é o primeiro livro da série “Na Companhia de Assassinos”, é indicado para os fãs de romance dark com muitas doses de ação. O romance não é o fator principal, mas sim, a trajetória da fuga de Sarai e as consequências que Victor tem que lidar ao fazer isso.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Livro: Boss Man
Série: A Dirty Office #1
Autor: Vi Keeland
Gênero: Romance
Páginas: 324
Resenha por: Luke
Reese não é uma mulher de sorte quando o assunto é relacionamento. Ela está no corredor próximo ao banheiro de um restaurante tentando mandar uma mensagem para a amiga regata-la de um encontro com um rapaz que só fala de sua mãe. Com essa tentativa – frustrada – um playboy encostado na parede arrogante começou a dar conselhos amorosos e falou o quanto ela está errada por fazer isso. Reese enfurecida não quer dar ouvidos pra ele, por achar um desaforo tal atitude. Voltando ao seu encontro, ela não pensava que o playboy iria até com sua mesa com uma mulher e inventará uma mentira sobre eles serem amigos de ensino médio.
Reese fica dividida em ficar enfurecida pela intromissão e pelo que aconteceu minutos atrás e agradecida por salva-la deste encontro horroroso. O nome do rapaz é Chase Parker. Ela não consegue tirar os olhos dele e sua curiosidade é tanto que até stalkear ela vai para saber mais sobre ele. Os dois não sabiam que iriam se encontrar de novo, e desta vez na posição de chefe e empregado.
Sabe quando você olha para uma capa e já defini como apelativa/sugestiva? Este livro foi assim. Um modelo com pose sensual quer dizer apenas que é uma história contendo muitas cenas sensuais, o que na verdade, neste não é. O que me surpreendeu bastante, pois gostei muito da história.
Chase Parker é um prodígio na área de criação de produtos. Ele tem uma empresa bem sucedida. Seu produto que o estreou no ramo é uma cera para mulheres que não dói. Isso fez com que transformasse em um CEO importante, talentoso e bom no que faz. Reese é uma garota que está saindo de seu emprego, e a procura desesperadamente por outro. Ela é do tipo de personagem que comete várias garfes e fala mais do que ouve. O que ela não esperava era fazer parte da equipe do playboy que chamou atenção dela num encontro mal sucedido.
Os dois possuem um passado trágico, fantasmas que de vez ou outra surge e abalam seus emocionais. Ela não quer se envolver com alguém do trabalho, muito menos o seu chefe. Ele a quer, pois seu jeito engraçado, encantador e desaforado o conquistou. É uma relação com muito flerte e sorrisos furtivos.
Os personagens são engraçados e conseguem através dos diálogos e situações tirar boas risadas do leitor. Chase e Reese estão quebrados emocionalmente e somente um ao outro capaz juntar os pedaços e refazer. Não será fácil, mas a confiança e conquistada e o sentimento de cumplicidade é existente entre ambos. Uma história que poderia ser apenas sensual, mas há muito mais carga dramática para ser exposta. É comovente como eles superam e dão oportunidade de ter algo além de uma relação casual.
Já li alguns livros de Keeland e gostei de todos, mas confesso que gostei mais desse. Pela surpresa de não conter somente um romance com cenas calientes, mas algo humano através dos personagens que puderam mostrar no decorrer da trama. Duas pessoas que tiveram suas vidas marcadas pela perda e medo, mas quiseram dar uma chance para um sentimento pleno e puro.
Se você gosta de romance, indico muito “Boss Man”. Além de ter uma escrita envolvente e fluida, há uma história comovente que irá te conquistar do começo ao fim.
Este é o primeiro de uma série e seus direitos já foram comprados aqui no Brasil pela editora Planeta.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Livro: My new step-dad
Série: -
Autor: Alexa Riley
Gênero: Romance
Páginas: 91
Resenha por: Luke
Sophie sempre foi criada em colégio interno, tendo nenhum contato com sua mãe ou qualquer outro parente. Ela cresceu com outras meninas e nunca ficou com nenhum garoto. Quando soube que sua mãe faleceu, imediatamente foi levada para a casa, na qual sua progenitora morava com seu padrasto. O que ela não sabia é que ele seria seu tutor até completar dezoito anos, daqui uma semana. Bruce se revolta por ter que cuidar de uma menina que mal conhece. Filha de sua ex-mulher, que por acaso nem tinha um casamento de verdade, era apenas por fachada, negócios. A doce Sophie irá despertar sentimentos que nunca sentiu e o medo e receio de avançar o sinal sobressai. Mas quando a paixão e o amor unem será que duas pessoas são capazes de resistir?

Você quando viu a capa deste livro certamente fez cara torta e deve ter soltado um “argh”! Mas calma, nem tudo que reluz é ouro. Melhor: não julgue o livro pela capa. Também fiquei receoso, pois fiquei achando que este livro era igual um que comecei a ler, mas parei por achar errado o que estava lendo (a mãe ficando com o melhor amigo do filho pelas costas dele). Aqui temos outro parâmetro.
Bruce sempre cresceu motivado pelos pais por ser alguém obstinado, sempre ter o intuito de trabalhar e conquistar aquilo que almeja. Ele se casou com uma mulher apenas por negócios, pois sua ex-esposa era idêntica a ele. A vida de ambos era trabalho, nada de fora era bem-vindo. Porém, quando sua esposa falece, uma notícia inesperada chega a Bruce: ele terá que ser tutor da falecida mulher até completar dezoito anos. Ele fica nervoso por saber que não é capaz de fazer isso.
Sophie chega a sua nova casa com medo do desconhecido. Ela mal conhecia sua mãe, agora muito menos sabe quem é o padrasto. Na verdade ela nem sabia que sua mãe era casada. Quando seus olhos pairam em um homem bem vestido na entrada do apartamento algo em seu coração pulsa mais forte, mal sabe ela que é recíproco. O jogo começou. Atração inabalável. Sentimento avassalador.
Sophie é uma menina inocente até certo ponto. Mais fácil dizer que ela é inexperiente na vida, por ter sido sempre criada em um colégio interno com meninas nunca teve a oportunidade de conhecer pessoas, especificamente alguém para se relacionar. Ela sabe que Bruce sente o mesmo por ela, mas o rapaz alguns anos mais velho sabe que é errado e faz de tudo para ficar longe dela. Porém, nada é como queremos. A relação dos dois é carregada de tensão e química.
A trama é muito rápida de ler, sendo um clichê com cenas hilárias que você pensa consigo mesmo: eu li isso? A escrita de Alex é envolvente e soube construir um enredo de maneira objetiva, mas poderia esticar um pouco mais. Apesar do tema um pouco polêmico, ela consegue esclarecer que não há nada de errado fazendo com que o leitor fique preso a leitura do começo ao fim. Apenas algo me incomodou no livro, que foi uma atitude de Bruce no final do livro.
Para os fãs de romance este livro é indicado. Há vários elementos como comédia, drama e uma grande dose de romance. A leitura é fluida e quando menos esperar estará terminado o livro, por ser rápido.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Livro: Redenção de um Cafajeste
Série: Redenção #1
Autor: Nana Pauvolih
Editora: Rocco
Gênero: Romance

Páginas:
Resenha por:
Arthur Moreno é um famoso empresário. Desde pequeno sempre teve do bom e do melhor, e na sua vida adulta isto inclui mulheres e tudo que o mundo pode lhe proporcionar. Já Maiana é uma jovem esforçada que cursa História, seu sonho é ser professora. Em uma situação delicada, os dois se cruzam e irão despertar grandes emoções e sentimentos. Enquanto Arthur consegue o que quer não importando as consequências, Maiana é sonhadora que acredita no amor e anseia o seu “final feliz”, porém este final pode estar longe de chegar.

Muitas amigas me falaram deste livro, o quão maravilhosa é a escrita da autora e do personagem principal, o Arthur. Tive que comprovar comigo mesmo se era isso ou não. Pois bem, a autora tem uma escrita muito boa, porém o personagem que tantos elogiam e sonham ter em suas vidas é uma pessoa fria, grossa e faz coisas sem se importar com as outras. Isto mesmo, não compreendo como querem alguém assim em suas vidas. Sim, o título do livro já remete o que irá acontecer com ele, mas mesmo ler o livro não consigo ter empatia e muito menos compreender suas atitudes.
Maiana é batalhadora e esforçada em busca dos seus sonhos. Sua criação pela sua mãe sempre foi instrui-la a casar com um homem rico para ser bancada. Ela nunca aceitou isto, mas sua irmã embarcou nesta onda e todo final de semana ela vai a caça. Ela trabalha e estuda, sempre querendo o melhor para sua família, ao ponto de sustentar a casa. Já Arthur é um homem frio, calculista, egocêntrico e muitos outros adjetivos.

O relacionamento entre Maiana e Arthur já inicia de um evento delicado e estranho. Após isso a relação cada vez se intensifica para o bem e para o mal. Os dois são diferentes, com ambições distintas, mas o que prevalece é a paixão e o desejo de estarem cada vez mais próximo. Ele por buscar o que quer, ela porque acredita no amor.
A escrita de Nana é excelente. Ela construiu uma trama envolvente e instigante, com personagens principais e secundários com características e personalidades fortes, diálogos bem elaborados, as cenas foram bem descritivas. Nana consegue despertar as emoções de cada evento mostrado na obra. Porém, o que pesou negativamente foi as atitudes do protagonista. Com sua postura e criação que podia ter tudo o que podia e ainda mais, fazer o que quisesse não interessando com os sentimentos ao redor, criou algo frio e insensível. Sua relação com Maiana é assustadora quando lemos as partes que ele narra. É extremamente descabido aceitar alguém fazer o que ele fez com a garota. Tenho que destacar a personagem avó de Arthur, ela é como um demônio nos ombros do neto toda vez que ele a visitava. Não quer dizer que aconteceu algo em seu passado é algo comprovado que vai se repetir em todas as gerações.

Para os fãs de um romance mais caliente, o primeiro volume da trilogia Redenção é recomendado. A história é boa, o enredo envolvente, os personagens conseguem prender nossa atenção, somente o que Arthur faz que pesou para mim na trama. Pois, mesmo ele tendo seus fantasmas do passado, não justifica suas escolhas escrotas. Christian Grey é um santo perto de Arthur Moreno.
O próximo livro da trilogia, "Redenção e submissão", é protagonizado pelo personagens Matheus, amigo de Arthur. Destaco que foi um personagem importante na trama e estou curioso para saber mais de sua história.


terça-feira, 25 de outubro de 2016

Livro: Lead
Série: Stage Dive
Autor: Kylie Scott
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Romance
Páginas:352
Resenha por: Luke
A fama pode proporcionar muitas coisas boas e realizações, porém, tem o seu lado negativo e arriscado. A prova disso é Jimmy, vocalista da banda Stage Dive. Sua vida sempre foi banhada a dinheiro, mulheres, bebidas e drogas. Ele conseguiu chegar no ápice e no fundo do poço após ficar dependente. Para tentar se reerguer a banda contrata alguém para ficar ao seu lado para ajudar a não recorrer ao seu vício. A pessoa contratada é Lena. Aparentemente ela é uma mulher que fica na sua, porém suas palavras estão carregadas de sagacidade e personalidade própria. Motivos para sair do seu emprego começaram a surgir, e Jimmy é uma pessoa extremamente fria e ríspida, o que já é mais uma parcela para Lena sair fora. Porém, o que era rigidez começa se tornar em amizade e depois em algo mais profundo. No entanto, Jimmy não quer se envolver com ninguém, porque nem no amor ele acredita. Ela está disposta a se arriscar, ele está disposto a recuar.

Amo a série Stage Dive, por ter personagens muito engraçados e bem elaborados, diálogos e enredo envolventes. A cada livro Kylie me surpreende e não tem com não ficar viciado em suas obras. Ela se tornou uma das minhas autoras preferidas, autora que com certeza será ideal para me tirar de alguma ressaca literária. E desta vez ela não me decepcionou.
Nos livros anteriores já ficamos à par da história de Jimmy de forma superficial. Neste volume conhecemos mais o personagem e o que motivou entrar nesse mundo obscuro das drogas e alcoolismo. Questões familiares também estão incluídas na trama, além, claro de um bom romance entre Jimmy e Lena. Os dois são diferentes. Enquanto um acredita no amor outro acha esse sentimento inexistente. A química entre os dois é intensa e avassaladora, o que torna o livro extremamente envolvente ao ler.
A escrita de Kylie continua fascinante. A voz narrativa é através de Lena, uma personagem forte, independente e atrevida na maioria das vezes. Ela não leva desaforo para casa e muito menos de Jimmy. Diálogos bem construídos e um enredo envolvente e instigante. Este livro é mais um que ao começarmos a ler não queremos mais parar.
Um romance sobre o descobrimento do amor, superação dos fantasmas do passado e sobre a valorização de si mesmo. Temas que tornam a obra densa e capaz de fazer o leitor entrar na história e acompanhar atentamente a história do casal.
Para os fãs de um bom romance, “Lead” é mais do que recomendado. Personagens que com certeza o leitor irá se identificar, também encontramos os personagens dos livros anteriores que também são apaixonantes. Kylie a cada livro se supera e o que faz ser uma autora competente naquilo que faz. O próximo livro será protagonizado pelo baixista Bem, o título é “Deep”.
 
Curta nossa Página! Siga nosso Twitter! Inscreva-se em nosso canal! Siga nosso Instagram! Nosso Skoob!