terça-feira, 2 de agosto de 2016

Livro: Coração Perverso
Série: Starcrossed #3
Autor: Leisa Rayven
Editora: Globo Alt
Gênero: New Adult
Páginas: 360
Resenha por: Luke
Elissa é uma diretora de palco organizada, profissional e criou uma regra para si mesma: “jamais se relacionar com ator”. Ela desde muito nova sofreu por amor, e sempre eram atores que partiram seu coração em troca de outras atrizes que contracenavam. Porém, tudo muda em uma noite com seu amigo Josh, conhecem o lindo Liam Quinn.

Mas como a vida não é nada boa para com a diretora de palco dedicada e esforçada, Liam é mais um homem que partiu o coração de Elissa Holt. Dessa vez foi diferente comparado ao que sentiu e vivenciou com outros homens, dessa vez foi mais intenso e real. Após seis anos, Elissa está prestes a trabalhar na peça “A megera domada”, de Shakespeare. Quem protagonizará será Liam e sua noiva Angel, isso mesmo, além de dilacerar o coração de Elissa ele também está noiva de uma mulher linda e maravilhosa.

É inevitável o encontro entre os dois será de muita tensão e um misto de sentimentos bons e ruins. Elissa tentará ao máximo em manter o profissionalismo que tanto preza e não demonstrar que o coração machucado não está cicatrizado, pois a paixão e o sentimento que sentiu naquela noite com Liam está bem vivo.

Sou fã da duologia “Meu Romeu”, isso é claro quem me acompanha aqui no blog. Soubesse há muito tempo que era fan-fic de Crepúsculo e fiquei mais feliz quando soube que ela seria publicada aqui no Brasil. Durante a leitura de “Minha Julieta”, a autora anunciou que teria mais um livro, só que esse seria um spin-off contando a história de Elissa, irmã de Ethan. Se fiquei feliz? Imagina.

Elissa desde o primeiro livro (Meu Romeu) se mostrou uma mulher independente, ama o que faz, dedicada e profissional. Não conhecemos muito sua trajetória, pois em nenhum momento alguma parte de sua vida foi explorado na história, o que para mim foi muito bom, pois em “Coração Perverso” é algo mais explorado e bem trabalhado. Ela muito nova se apaixonou por Liam. Não uma paixão qualquer e passageira, mas foi algo que impactou e trouxe um novo frescor a sua vida de decepções amorosas. Liam é um rapaz que tem uma história triste, mas superou. Na noite que conhece Elissa o sentimento foi recíproco. Porém, algo fez que os dois não usufruíssem o tão esperado e sonhado felizes para sempre.

A resenha desse livro será muito difícil de expressar tudo aquilo que senti após a conclusão da leitura. Entrou nas listas de favoritos que não conseguimos falar tudo o que achamos, mas vou me esforçar ao máximo. Logo no começo da obra, a autora fez a seguinte dedicatória:

Este livro é para todos aqueles que têm sido arrasados pelo amor, mas que se recuperam e tentam mais uma vez. Que seus corações frágeis sejam aquecidos pelo sol e acariciado pela brisa suave, e que vocês possam um dia esconder-se através de uma árvore estrategicamente posicionado, que lhes permita, como ninjas furiosos, atacar o amor de supresa e acertá-lo bem nas bolas.

Ou seja, logo no começo já ela me impactou e me fez acompanhar a história de outro parâmetro e ser mais compassivo. A história de Elissa e Liam é emocionante, revigorante, que nos mostra que o amor pode nos machucar, mas também pode trazer a cura. O amor pode nos frustrar, mas também pode nos realizar. A mensagem da trama traz algo real, algo que pode estar acontecendo conosco ou com alguém ao nosso redor.

A construção dos personagens foi feita de maneira fascinante, dando oportunidade de explorar os protagonistas e os secundários. Os diálogos são irônicos, engraçados, lindos ao ponto de nos fazer suspirar. Conflitos que são capazes de nos identificar e sentir tudo aquilo que a protagonista está vivendo. A relação do casal é intensa, recheada de muita tensão e química.

Lisa é atriz e produtora. Ela explorou muito bem a área em que estudou e exerce a função. Conseguiu trazer de perto os bastidores da fama, estratégias, escândalos e como esse mundo glamoroso é construído. Algo que senti falta foi a presença dos protagonistas dos livros anteriores.

Para você, fã de um bom romance, não pode perder a oportunidade de colocar este livro na lista das suas próximas leituras. Eu confesso que gostei mais da história de Elissa do que a do seu irmão. Nesse os eventos são mais objetivos, consegui me envolver mais com os personagens, o clima em que Leisa cria é mais intenso.


Tenho que ressaltar o trabalho gráfico lindo que a Globo Alt fez para esse livro, e também com outros livros da editora. 




quarta-feira, 6 de julho de 2016

Livro: Os bons segredos
Série: -
Autor: Sarah Dessen
Editora: Seguinte
Gênero: Young Adult
Páginas: 408
Resenha por: Luke
Sydney tem uma família desestruturada. Possui pais negligentes para com a educação do seu irmão, Peyton, que está preso por atropelar um garoto e deixá-lo paraplégico. A sua criação sempre foi estar à parte da de Peyton. Assim que visitou uma pizzaria próxima ao seu novo colégio, Sydney conhece Layla, uma garota autêntica e engraçada. A partir daí uma amizade se inicia e Sidney irá conseguir se abrir pela primeira vez com uma pessoa. 
Visitando frequentemente a pizzaria ela começa a fazer entregas com o irmão de Layla, Mac. As novas amizades e nova função de entregadora começam a ser sua válvula de escape de tudo que está vivendo em casa. As entregas a fazem enxergar fragmentos da vida de outras pessoas e sentimentos novos irão surpreendê-la.

“Os bons segredos” é o primeiro contato que tive com Sarah. Já ouvi diversos amigos elogiarem sua escrita e as histórias. Sinto que este foi um bom momento para iniciar a leitura com alguma obra sua, pois este livro me tocou e realmente conferi os elogios em que deram sobre a autora abordar assuntos familiares.

Sydney é uma garota madura e que desde muito nova entendeu como era a criação dos seus pais com o seu irmão. Eles sempre passavam a mão na cabeça do filho a cada erro, isso foi se agravando ao nível de Peyton ser preso. Mesmo assim os pais continuam justificar os seus atos. Ela sempre se sentiu invisível dentro de sua própria casa. Após a prisão do seu irmão, ela então decide mudar de escola, sentindo que precisa respirar novos ares e conhecer novas pessoas. Foi assim que conheceu Layla, uma garota que se tornaria sua melhor amiga.
"As relações evoluem, como as pessoas. Conhecer alguém não significa tudo sobre esse alguém."
 A trama narrada em primeira pessoa por Sydney traz seus pensamentos e suas experiências. Acompanhamos sua trajetória e como iniciou a negligência de seus pais. O que me chamou muita atenção foi como a autora trouxe à tona uma realidade tão viva com relação a educação, relacionamentos familiares, a construção das amizades e a descoberta do amor. 

Consegui me identificar com os personagens, através deles transmitiram atitudes que nos fazem refletir e compreender quão real são as histórias de cada um. Sarah soube trabalhar de forma fascinante as relações entre pessoas, pois o romance não é o foco da obra. As diversas relações nos mostram que há suas falhas, mas há também como reconstruí-las e seguir em frente o melhor possível.
"Ninguém era capaz de saber o que viria adiante; o futuro era a única coisa que jamais poderia ser destruída, porque ainda não tivera a chance de existir." 
A escrita de Sarah é envolvente, comovente e capaz de cativar o leitor. Enredo e personagens muito bem construídos, conflitos sérios e tão reais, diálogos sérios e reflexivos. Essa junção de elementos fez com que a leitura tornasse ágil e fluída. A partir do momento que comecei não conseguir parar mais. 

Para você que é fã de drama, cujo tema trata de conflitos familiares, amizade e como o amor pode surgir em situações tão diferentes, este livro é recomendado. Uma leitura deliciosa, trama envolvente e personagens fáceis de se identificar. “Os bons segredos” fez com que virasse fã de Sarah Dessen e ansioso para ler o seu mais novo lançamento pela editora Seguinte “Uma canção de ninar”.


quarta-feira, 22 de junho de 2016

Livro: Para todos os garotos que já amei
Série: Para todos os garotos que já amei #1
Autor: Jenny Han
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Young Adult
Páginas: 320
Resenha por: Luke
Lara Jean coleciona diversos tipos de objetos na caixa de chapéu que sua mãe lhe presenteou, entre eles há cinco cartas de despedidas para garotos que já amou. Essas cartas são um segredo. Após sua irmã mais velha ir para a faculdade na Escócia, as cartas somem e foram enviadas para os respectivos donos em que as cartas foram escritas. Um dos garotos é o namorado de sua irmã. Isso será apenas a ponta do iceberg que Lara terá que enfrentar. Sua vida não será um mar de tranquilidade como estava acostumada.
 
Lara é uma garota agradável de conviver, porém é um pouco infantil em algumas atitudes. Sua vida é como uma brisa suave. Mora com seu pai, suas irmãs e tem uma melhor amiga. Tem também certo garoto que sempre foi apaixonada, mas essa paixão não é correspondida pelo simples fato dele ser o namorado de sua irmã. Ele se chama Josh e é como membro da família. Ele é responsável e leal à família de Lara. Mal sabe ele que ela tem uma paixão incubada por ele.
Estava muito apreensivo para ler este livro, pois a sinopse me fisgou e sou apaixonado pela escrita da autora. Desde o primeiro livro dela que li, “O verão que mudou a minha vida” foi paixão a primeira vista em ver em sua escrita sensibilidade e sagacidade de trazer histórias comoventes e românticas.

“Para todos os garotos que já amei”, além de ser um romance, também trata de relacionamento familiar, perdão e lealdade. Isso complementa a narrativa como uma fusão que resulta em uma história extremamente fofa.
Se o amor é como uma possessão, talvez minhas carta sejam meu exorcismo.
Os personagens como todos os que Jenny constrói não tem como amá-los. Nos identificamos com cada um através de situações do cotidiano. São desenvolvidos para os leitores amá-los, torcer para eles encontrem o esperado final feliz.
A escrita de Han continua envolvente. Com capítulos pequenos, ou seja, objetivos e instigantes. A obra narrada pela perspectiva da protagonista, sentimos e vivenciamos o que ela passa. Isso é uma característica marcante da autora: fazer com que o leitor se apaixone pelos personagens. Nos livros de Jenny também são encontrados personagens que precisam fazer escolhas e elas determinarão o futuro e virão com alegrias, tristezas, mas o mais importante: amadurecimento.
Muitas pessoas são bonitas. Isso não as torna interessantes, intrigantes ou legais
Para quem é fã de um romance fofo e bem escrito, “Para todos os garotos que já amei” é mais do que recomendado. Uma narrativa contendo vários momentos altos e cenas envolventes. Personagens bem construídos, desenvolvimento que faz o leitor começar e não querer parar mais. Esta obra me fez ser mais fã de Jenny e ansioso para a continuação, “Ps: ainda amo você”.

A autora anunciou esse ano que terá o terceiro livro que Lara Jean virá com mais histórias para os leitores que a amam.
 

 

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Livro: Sedutor
Série: Selvagem Irresistível
Autor: Christina Lauren
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Romance; Erótico
Páginas: 379
Resenha por: Luke
Mia e suas amigas acabaram de se formar, em comemoração elas vão para Las Vegas e se divertir como se não houvesse amanhã. Muita música, dança e bebida lógico que aconteceria algo, além disso. Quando ela se depara com Ansel seu corpo o corresponde ao dele, ou seja, bateu a química. Ansel é advogado, o tempo lhe consome. Ele também está com seus amigos de férias. O casal começam a conversar e ter momentos oportunos para se encontrarem. Para surpresa dela, em um belo dia ao acordar vê em seu dedo esquerdo uma aliança. Isso mesmo! Como Vegas é uma famosa cidade para se casar, não precisou de muito esforço para os dois fazerem isso.

Com sua insegurança e indecisão, ela fica em uma sinuca de bico de ir à Paris, onde Ansel mor, ou ficar em sua casa até chegar a data de se mudar para Boston e começar o curso de administração que o seu pai tanto está lhe obrigando. Como Mia também às vezes é impulsiva embarcou no avião e decidiu se aventurar com Ansel. O que ela não imaginava era que ele ficaria tanto tempo fora de casa. Ela começará a passear sozinha em Paris e conhecer a cidade como uma típica turista. Algo nasce entre os dois ao passar dos dias e essa relação que deveria ser baseada sem nenhum sentimento, é nutrida pouco a pouco.
Uma história que estava com muita expectativa, pois os livros da série “Cretino Irresistível” são muito bons, e não é que esse também está no mesmo nível! Tudo num conjunto da obra foram ganhando pontos para que conseguisse me conquistar e terminar a leitura de maneira muito agradável.

Mia é carregada de insegurança e frustrações. Algo que aconteceu no seu passado fez com que seu sonho fosse interrompido, isso gerou um grande sentimento de perda e dor. Seu pai é autoritário e trilhou o seu futuro sem nem mesmo pedir a sua opinião. Quando ela conhece Ansel e tudo que eles vivenciam é como se ela inesperadamente tornasse um porto seguro misturado com Mestre dos magos, por dar-lhe conselhos e esperança para realizar seus sonhos e conquistar aquilo que ela quer não por terceiros. Ele também guarda algumas coisas, o que isso pode ser a ruína do seu relacionamento com Mia (o que pra mim não é motivo tão grande assim de términos, pois um diálogo poderia resolver).

Uma história que não se prendeu a conflitos tão sérios, mas fixou no romance. Christina Lauren que é o pseudônimo das autoras Christina Hobbs e Lauren Billings, construíram uma história despretensiosa, mas que há momentos conseguimos refletir sobre alguns acontecimentos que Mia vivencia.

Diferente dos livros das autoras, esse é narrado em primeira pessoa pelo ponto de vista de Mia. Senti falta do ponto de vista masculino? Sim, pois nos daria um parâmetro maior da história. Mas é compreensível essa escolha da voz narrativa, pois decidiram aprofundar mais na história da protagonista e também nos surpreender com as histórias de Ansel.

A escrita das autoras continua a mesma. Envolvente, instigante e fluida, quando lemos páginas e páginas passam sem percebermos, ou seja, isso é um sinal que a narrativa te prendeu. Algumas situações que o casal vivencia são engraçadas.
“Sedutor” é uma história de duas pessoas agem impulsivamente e que nem imaginariam que entre eles poderia nascer algo. Uma série que começou com o pé direito e já estou ansioso para ler a história de Harlow e Finn em “Indecente Irresistível”.



sexta-feira, 17 de junho de 2016

Livro: Sr. Daniels
Série: -
Autor: Brittany C. Cherry
Editora: Record
Gênero: Romance; New Adult
Páginas: 322
Resenha por: Luke
Após a morte de sua irmã gêmea, a mãe de Ahslyn faz ela se mudar para casa de seu pai. Tudo em sua vida está uma verdadeira confusão, em cacos. Enfim, seu mundo caiu e está sem forças para se reerguer. Durante a viagem, ela conhece o charmoso músico Daniel. Com seu jeito charmoso, fã de Shakespeare, ao ponto de apelidar o autor de Shake. Em pouco tempo, uma ligação é criada entre eles. Daniel também teve suas perdas e seus momentos difíceis. Depois de chegar à cidade do seu pai, sua nova vida está para começar. O que ela não esperava era se deparar com Daniel na sala de aula como professor. Uma situação perigosa e conflitante é criada entre os dois. Sentimento forte e a responsabilidade/ética profissional estão em uma linha tênue.

Há muitas histórias por aí sobre alunas que se apaixonam por seus professores. Porém, esse livro vai muito mais além desse plot, o que me fez me apaixonar mais ainda. Confesso que não estava muito animado para lê-lo, mas quando li a sinopse, minha atenção fixou um pouco mais e começou a vontade de saber mais sobre a vida de Ashlyn e Daniel... ou Sr. Daniels.
Eu não disse que seria fácil. Só disse para ir em frente. Além do mais, as melhores coisas da vida não são fáceis. Elas são difíceis, são cruas e dolorosas. Isso torna a chegada ao destino final muito mais interessante.
Muitas pessoas poderão criticar a protagonista como dramática, que chora demais. Eu também não gosto de personagens assim, mas algo me fez ter empatia por ela. Ashlyn tem seus momentos de tristeza, raiva, humor, sarcástica, essa mistura de reações que provavelmente criou esse meu sentimento por ela. Outra coisa que me fez sentir por ela é a vontade de abraça-la nos momentos em que seu mundo está prestes a ruir.
Daniel também foi um personagem que gostei. Ele tem uma banda chamada Romeo’s Quest, todas suas canções são inspiradas por Shakespeare, além de ser professor. O livro já inicia mostrando uma situação que fez com que o chão do rapaz sumisse ao passar das páginas percebe-se o amadurecimento e a forma que ele encarou as perdas.
O livro é narrado em primeira pessoa pelas perspectivas de Ashlyn e Daniel, o que pôde ser mais explorado em suas histórias e sentimentos. Os personagens secundários também são bem explorados e criamos um vínculo, como se já nos conhecêssemos antes. Para mim, o que mais que se destacou, foi Ryan. Sua história de vida, conflitos, dúvidas, pensamentos e humor fizeram com que a história ganhasse um brilho especial.
Porque fingir ser feliz é quase como ser feliz. Até você lembrar que é apenas fingimento. Então você fica triste. Realmente triste. Porque usar uma máscara todos os dias da sua vida é a coisa mais difícil do mundo. E depois de um tempo, você tem um pouco de medo porque a máscara se torna você.
A trama desenvolvida com simplicidade, ao mesmo tempo é densa, profunda e real. Os personagens tão vivos, palpáveis, até parece que estamos ao lado de cada um acompanhando todas as situações. A autora conseguiu me fazer mergulhar de cabeça e sentir o clima ao redor das cenas, sentir o que cada um dos personagens estava sentindo, ou seja, chorei muito.
A escrita de Brittainy é recheada de citações de Shakeaspeare e todo início de capítulo tem versos das músicas da banda de Daniel e tem tudo a ver com o capítulo. Os quotes são naturais e fez com que marcasse páginas e páginas, me fez refletir tanto, pois a essência das frases são extremamente tocantes.
Os seres humanos não foram feitos para serem perfeitos, Daniel. Fomos feitos para estragar as coisas, destruir as coisas, e aprender coisas novas. Fomos feitos perfeitamente imperfeitos.
Se você leu Métrica, da autora Colleen Hoover, tem grandes chances de se apaixonar por essa história. Já adianto que a carga emocional dela é bem carregada. Tiveram momentos que pausei a leitura para processar e absorver os capítulos narrados. Uma trama de perdão, superação e a descoberta de um amor profundo e avassalador, fez com que esse livro entrasse na lista dos favoritos. Amei me emocionar, pois um das coisas mais importantes de uma leitura é realmente entrar na história e vivenciar junto com o personagem cada momento difícil ou feliz.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Livro: A fúria e a aurora
Série: A fúria e a aurora #1
Autor: Renée Adhieh
Editora: Globo Alt
Gênero: Romance; Ação; Fantasia
Páginas: 336
Resenha por:
A cada amanhecer na cidade de Khorasan toda a população já sabe o que esperar: uma donzela é assassinada. O responsável das mortes é o jovem governante, rei Khalid. Todos os dias uma garota é escolhida para ser sua noiva, com a sentença de sua morte. Sharezade se voluntaria ser a próxima, por um simples motivo: vingança. Sua melhor amiga, Shiva, foi morta pelas mãos do rei. Ela vingará a morte da amiga e dará o máximo de si para que isso nunca mais aconteça, pois seu intuito é matar Khalid.

Na primeira noite em que se conhecem, Sharezade seduz Khalid com suas histórias. Seu dom é especial ao ponto de prender a atenção do rei até a aurora, conseguindo se salvar. Isso acontece sucessivamente e a garota tem uma nova chance de sobreviver e encontrar a fraqueza do califa para aniquilá-lo. Porém, eles não esperavam que um sentimento puro e sutil invadissem as rachaduras que protegem seus corações. Confusões, dúvidas e segredos serão bases para impedirem que prossigam para algo a mais. Sharezade nunca pensou que seu maior inimigo ganhará um espaço em seu coração e vice-versa.
Quando iniciei a leitura deste livro não estava com muitas expectativas. Porém, dei uma chance para quem sabe prender minha atenção e se tornar uma leitura satisfatória. Ao finalizar, fiquei muito feliz em dar uma chance, pois esse livro é maravilhoso. A obra é uma releitura do clássico “As mil e uma noites”. Nunca tive contato com a obra, então não terei competência para tal comparação minuciosa.
Sharezade é uma garota audaciosa, corajosa e outros tantos adjetivos. Ao despertar o sentimento de vingança, se mostrou ser leal a sua melhor amiga assassinada ao ponto de arriscar sua própria vida. Shazi não é de cruzar os braços quando algo afeta as pessoas que amam. Porém, sua inteligência também é uma de suas virtudes, pois utiliza de seu dom para se sobreviver. Após contar uma história, um novo dia começa e logo ela terá que conseguir outro jeito para sobreviver. Enquanto isso buscará todos os meios de conseguir algo que possa atingir seu objetivo de matar Khalid. O relacionamento dos dois começa a instiga-la, pois sentimentos jamais imagináveis naquela situação despertam no coração da moça. Khalid é um homem frio e pragmático. Ele não acredita no amor, pois percebe que esse tal sentimento é banalizado. No entanto, ele poderá está prestes a viver intensamente tal experiência 
Mas não estou aqui para lutar. Estou aqui para vencer.

A história é narrada em terceira pessoa, o que possibilitou da autora explorar vários personagens e faz com que o leitor compreenda os diversos pontos de vistas, ações e sentimentos. Os personagens foram muito bem construídos, destacando suas personalidades, histórias e motivações. Até mesmo os secundários ganharam seu espaço e tiveram sua importância em momentos precisos na trama. Porém, a tensão e a química entre os personagens são nítidas, isso fez com que torcesse pela união dos dois.
Renée Ahdieh tem uma escrita fascinante. Soube muito bem construir personagens profundos e conflitos densos. Ela tem a capacidade de transpor o leitor para dentro da trama, fazendo com que ele envolva com as histórias dos personagens e suas escolhas. O leitor deve ficar atento, pois Renée possui uma sagacidade de inserir mensagens nas entrelinhas. No início fiquei confuso com os nomes dos personagens e nomenclaturas serem árabes, mas nas primeiras páginas há um glossário dando o significados das palavras.
A parte gráfica da Globo Alt está excepcional quanto a obra. A capa trazendo elementos contidos na história, a diagramação proporcionou com que a leitura ajudasse a se tornar fluida e envolvente – apesar da escrita da autora ter sido o principal motivo. É nítido o cuidado da editora para o livro a ser exposto ao leitor.

Na minha vida, a coisa mais importante que aprendi é que ninguém alcança a plenitude de seu potencial sem o amor dos outros.
Para os fãs de romance, ação e fantasia, “A fúria e a aurora” é um livro recomendado. Com uma mistura de gêneros, é possível alcançar diferentes gostos. Uma história de vingança, amore improváveis e segredos. A fantasia não é tão explorada, mas é perceptível que no próximo livro ela terá mais espaço.
História fascinante, escrita envolvente, aventura motivadora e um trabalho gráfico feito com esmero. Um conjunto de elementos que tornou “A fúria e a aurora” em uma leitura que superou todas as expectativas. Foi finalizado criando grande expectativa para o próximo volume.

 

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Livro: O amor nos tempos do ouro
Série: O amor nos tempos do ouro
Autor: Marina Carvalho
Editora: Globo Alt
Gênero: Romance de época
Páginas: 328
Resenha por: Luke

Após Cécile Lavigne perder seus pais e seus irmãos, sua viagem de seu país onde nasceu, a França, para o Brasil é de muita tristeza e desesperança. Trazida pelo seu tio Euzébio, único parente vivo, será obrigada a casar com Euclides de Andrade.  Quem terá a missão de leva-la até a casa do futuro marido,  é Fernão, um explorador de ouro. Até o destino final, Cécile viverá grandes emoções e também um choque cultural. Para ela, o casamento só seria aceito sentisse algo puro e inabalável por alguém. O que está prestes a sentir isso e muito mais.

Sou leitor assíduo de Marina Carvalho há um bom tempo, e tive o privilégio de acompanhar sua evolução na escrita através de vários livros lançados. Dessa vez, ela entrou em um novo nicho narrativo, romance de época. Tenho a felicidade de constatar que ela fez um excelente trabalho, e para mim, ela não saía tão cedo desse gênero. “O amor nos tempos do ouro” é o melhor livro da escritora.
Cécile aparenta ser uma menina mimada e esnobe. Vindo de família nobre da França teve uma criação um tanto singular comparado como a do Brasil estava acostumado. Sua criação foi livre, e uma das vontades do pai era que ela se casasse por amor e não por status ou arranjo com alguém. Porém, quando sua família morre, ela será obrigada se mudar para o Brasil com seu único parente vivo. Ela se mostra alguém que ela nunca foi. Audaciosa, com uma personalidade forte e amorosa, Cécile foi mostrando para o leitor o quão corajosa pode ser. Fernão, um homem que lucra de exploração e trocas de favores com fazendeiros, é responsável para levar a jovem Cécile para a casa do seu futuro marido, um homem velho e cruel. Ele não gosta de mulheres frescas e metidas, e seu preconceito inicial com Cécile é que ela seja dessa linha. Porém, as atitudes da jovem foram se mostrando ao contrário e algo em seu coração bateu mais forte.
Eu tive receio antes de ler o livro, por pensar que a autora traria um teor mais histórico e o romance ficasse em segundo plano. No decorrer das páginas isso foi mostrando nitidamente. De forma equilibrada, Marina trouxe um contexto histórico, pois todo romance de época deve trazer para o leitor compreender, e também o romance de uma forma leve e cativante.

Porém, Cécile, pode até não parecer, mas possuo um coração e ele às vezes toma as rédeas da minha vida.
O livro é narrado em terceira pessoa, que proporciona o leitor ter uma visão panorâmica para entender os personagens num todo. A trama também contém o diário de Cécile que expressa seus sentimentos vividos em determinados momentos, e também cartas que Fernão escreve para a ela. Esse conjunto de elementos foi importante para a narrativa.
Acredito que o livro deve trazer em algum momento para o leitor um momento de reflexão. Momento que desperte sentimentos, pois isso é imprescindível para o leitor se envolver com a história e personagens. Isso aconteceu comigo. Foi muito forte ler situações que há muito tempo as pessoas viviam. Mulheres e negros eram desvalorizados e discriminados. Isso trouxe uma revolta e me fez refletir que atualmente há resquícios do passado.
Marina Carvalho traz uma escrita instigante e deliciosamente envolvente. Quando comecei a ler não quis mais parar, o que fez com que a leitura ser fluida e ágil. Dos personagens cativantes, os conflitos sérios aos acontecimentos históricos da época. É perceptível que a autora se preocupou em fazer uma pesquisa e trouxesse uma obra de qualidade.

Quando os inimigos interiores são combatidos, os inimigos de fora nada podem contra ti.
Tenho que ressaltar como está linda a edição de “O amor nos tempos do ouro”. A editora caprichou na capa que reflete muito à história, a diagramação e a arte.
Para você leitor fã de romance histórico, “O amor nos tempos do ouro” é uma ótima indicação. Leitura envolvente, com personagens que certamente irá se identificar, trama com conflitos sérios. Se você ler, espero que também tenha um momento de reflexão trazendo um paralelo para os dias atuais em situações ali vividas na época. Trajetória de uma mulher corajosa, que passa por momentos muitos difíceis, mas com pessoas que se importam e um amor avassalador, tudo pode ser combatido.

 
Curta nossa Página! Siga nosso Twitter! Inscreva-se em nosso canal! Siga nosso Instagram! Nosso Skoob!